19 de julho de 2010

Ações dos Goleiros Paricipantes da Copa do Mundo 2010

Postado por Fabio Ritter

* por Alex Oliveira – http://twitter.com/alexgoleiros

A análise quantitativa do jogo é um processo fundamental na explicação dos fatores que influem no êxito esportivo, sendo esse, um método válido, viável e objetivo, tanto do ponto de vista do jogador, como do ponto de vista da equipe na avaliação do desempenho através dos indicadores encontrados no jogo (SAMPAIO, 1998).

Nessa análise, em especifico, retirei os dados do site www.fifa.com onde estão apresentados os números de distância percorrida, velocidade máxima atingida e quantidade de defesas durante cada partida realizada na Copa do Mundo 2010.

Para este texto apresentarei as ações realizadas pelos finalistas da competição. Esse procedimento foi por mim adotado tendo em vista que esses goleiros obtiveram o maior número de jogos para analise. Também inclui as ações do goleiro brasileiro Júlio César para análise das ações realizadas pelo goleiro de nossa seleção.

Os dados nos mostraram os valores de média e desvio padrão (sd).


O goleiro que percorreu a maior distancia em metros por jogo foi o Alemão Neuer tendo percorrido em média 5117m (+ 65,6) por jogo e em contra partida o goleiro que menos percorreu distancias foi o Uruguaio Muslera com uma média de 3386m (+ 441,3) por partida.
Nesta análise quando falamos em quantificar as ações físicas de um goleiro de futebol é determinante conhecermos a duração de suas atividades, essas divididas em fases ativas e passivas (IGLESIAS, 1992).

Por fase ativa entendemos como sendo o período em que a ação ocorre em tempo real, tanto física quanto técnicas, e a fase passiva é o momento de pausa entre as participações ativas do goleiro, ou seja, o momento de descanso do jogador. O goleiro durante a partida realiza uma seqüência de atividades distribuídas em intervenção – pausa – repouso – intervenção, indicando que o metabolismo predominante em suas atividades se dá pelos processos anaeróbicos aláticos, e o processo aeróbico atua na função de restabelecimento energético durante as pausas (SAINS & ORTEGA, 2002).

No ponto de vista as ações ativas neste estudo serão analisadas somente as defesas executadas em cada partida. Neste estudo, o goleiro que mais defesas executou foi o alemão Neuer (eleito o melhor índice de atuações na Copa no site FIFA.COM / Castrol) com 3,7 (+ 2,6) defesas por jogo e o atleta que executou o menor numero de defesas foi o espanhol Casillas (eleito o melhor goleiro da Copa) com um numero de 2,4 (+ 1,6) defesas executadas.

O baixo numero de defesas executas pelos goleiros nesta Copa nos mostra o quanto decisivas foram às participações deles. Estes atletas foram em sua maioria quase expectadores privilegiados desse evento, mas quando exigidos tiveram que dar conta do recado. Tanto que com exceção do goleiro Uruguaio Muslera que sofreu 8 gols na Copa e obteve uma média de 1,1 gols sofridos por partida, os goleiros sofreram pouquíssimos gols nessa competição tendo estes uma média menor que um gol por partida. O goleiro que sofreu o menor número de gols nessa edição foi o espanhol Iker Casillas sofrendo somente 2 gols com uma média aritmética de 0,3 gols sofridos por partida.

Ao analisarmos as ações físicas podemos englobar os deslocamentos, saltos e quedas, sendo que as quedas têm um salto que precede sua ação, sendo essas ações físicas as que realmente o goleiro utiliza para executar as defesas (LAGO y cols, 1996; PAULIS, 1997), ações estas foram onde obtivemos o valor de velocidade máxima atingida por partida.

O goleiro mais rápido desta copa foi o goleiro Holandês Stekelenburg atingindo a velocidade máxima de 24,4 km/h na partida semifinal contra o Uruguai. O goleiro Uruguaio Muslera foi o atleta que atingiu a menor velocidade máxima dos analisados, ele atingiu 20,7 km/h na ultima participação de sua equipe na disputa pelo terceiro lugar contra a Alemanha. Os números de velocidade máxima nos mostram valores relativamente mais baixos que os obtidos pelos jogadores de linha onde que o mais veloz foi o atleta Hernandez da equipe do México com uma velocidade de 31,15 km/h.
Essa comparação só contribui para um pensamento que há muito ronda os processos de treinamento de goleiros, no qual deveremos desenvolver a velocidade rápida do nosso goleiro e não a velocidade máxima, em exercícios que desenvolvam a potencia muscular e a velocidade de reação em atividades de curtíssima duração.
Em síntese, pode-se dizer que a analise do desempenho nos jogos desportivo tem possibilitado desde a configuração de modelos de atividades dos jogadores, promoverem o desenvolvimento de métodos de treino mais específicos, até indicar tendências evolutivas do desporto.