14 de julho de 2015

No improviso

Postado por Fabio Ritter

A grande atuação de Fernando Prass, do Palmeiras, diante do Sport, no último domingo, em partida válida pelo Brasileirão, teve muito da arte do improviso.

Este atributo é muito importante para um goleiro de elite. Muitas vezes não iremos seguir o livrinho e praticar a defesa mais técnica. Ou seja, vale se atirar de cara, com os pés, ou seja qual for a parte do corpo. Lembre-se, acima de tudo, no topo da pirâmide, sempre está a máxima de não deixar a bola entrar no gol. É isso o que mais vale para um goleiro.

Pensando nisso, Prass defendeu de manchete a cobrança de falta venenosa de Diego Souza. Após a bola variar muito, o goleiro palmeirense usou da tática de recepção do volei para espantar a bola para o lado.

A bola foi para longe, não foi? Então perfeito. Cumpriu a sua função. Tenha em mente sempre isso meu goleiro! A bola não pode entrar. E, muitas vezes, não importa como.